A gastronomia como produto de promoção de destinos turísticos na BTL 2012

 

Em outros textos publicados no Sapoti já refletimos mais especificamente como a gastronomia é um produto importante para muitos destinos turísticos, quer seja ela como produto-chave ou complementar.

Deixando de lado a teoria, decidi ir para a prática, desse modo resolvi visitar a BTL 2012 – uma feira internacional de turismo que decorre anualmente em Lisboa – Portugal. A visita à feira se deu por vários interesses, dentre eles perceber de que modo a gastronomia é explorada pelos destinos turísticos que estavam presentes na feira.

É verdade que esta feira tem um destaque muito grande para a promoção do turismo gastronómico, principalmente no que diz respeito a Portugal. Este país investe muito na promoção da gastronomia. No espaço em que se encontram os órgãos de promoção do turismo português, há sempre uma representação da culinária típica de diversas regiões, confrarias gastronómicas a explicar a origem dos pratos, o modo como se confecionam. Por estes Stands se fazem os negócios em volta da comida!

Para além de Portugal encontrei outros diversos países representados na feira, dos quais me chamaram muita atenção por estarem em stands pequenos e dispensarem uma parte representativa destes espaços para promover a gastronomia local. Dentre muitos podemos destacar o Stand de São Tomé e Príncipe e Angola. No Stand de São Tomé e Príncipe, para além de tudo aquilo que nos foi informado sobre o turismo do país, podemos saborear um café, chocolate, banana seca, dentro muitas outras comidas típicas do país.

 

 

 

No Stand da Angola encontrei ainda diversos doces típicos e o mais interessante é que se encontravam a volta de folhetos de promoção do país ou mesmo de promoção de hotéis, dentre outros.

 

Assim como estes países, muitos outros levaram para a feira a gastronomia típica local como forma de promover a cultura e, consequentemente, suscitar o interesse das pessoas por esses destinos.

 

O Brasil também esteve presente na BTL 2012 e esse ano com a honra de ser o país convidado da feira. Esse fator representa um stand de maior dimensão e proporciona ao país um destaque muito maior do que qualquer outro que esteja naquele espaço. A foto abaixo representa apenas uma parte do stand de promoção dos Estados.

 

Não tenho dúvida que o nosso Stand era um dos mais bonitos e animados da feira. Os representantes de vários Estados do país pareciam estar bastante felizes em promover seus destinos. Afinal, o objetivo da feira era fechar negócios e promover cada vez mais o Brasil como destino turístico.

Entretanto, aquilo que encontrei nos outros países com tanta intensidade esperava encontrar também no Stand do Brasil: “a culinária típica, como mais um elemento que complementasse a promoção do destino e que proporcionasse as pessoas conhecer cada vez mais a nossa cultura local”.

O motivo que mais me instigava a encontrar no nosso stand cocadas, castanha, suco de frutas típicas, dentre muitas outras comidas típicas, vem de encontro com os dados apresentados pelo Ministério do Turismo em Outubro de 2011, através de uma pesquisa realizada no ano de 2010, pela Fundação Instituto Pesquisas Econômicas (Fipe) com 39.000 turistas internacionais. Nesse estudo, os turistas fizeram diversas avaliações sobre o destino, dentre elas os serviços turísticos ofertados no Brasil, onde revelaram que a experiência com a gastronomia brasileira fora muito positiva , chegando a ter 96% de aceitação.

Pois muito bem, se temos grande aceitação por parte dos turistas que visitam o Brasil, porque não promover mais ainda esses produtos nessas feiras? Na minha opinião, feiras como a BTL são uma mina de ouro para promover tudo o que temos, não somente paisagem, mas principalmente a cultura local brasileira, que muitas vezes está resumida aqueles estereótipos que não preciso citar aqui!

É verdade que muito se fez nesta feira. Adorei ver as apresentações da música brasileira, as baianas acompanhando a banda de samba, as danças do Estado do Pará, as apresentações do Amazonas e muitas outras ações que foram feitas. Mas com a gastronomia, infelizmente, não foram muito além. Não entendo o porquê. Mas deixo aqui o meu apelo, como investigadora da área e amante da gastronomia brasileira, que não sirvamos mais aperitivos que em nada representam o nosso país.

Eu acredito, e os estudos a cada dia demonstram essa potencialidade, que a culinária típica brasileira tem de ser promovida como um potencial produto turístico que represente muito a cultura brasileira. A comida não é apenas alimento básico, ela traduz a história, a alma, os saberes, as crenças do nosso povo. Façamos usufruto deste elemento único que é a Cozinha Brasileira!

Deixo aqui o meus agradecimentos às amigas Éricka Amorim e Márcia Araújo que estiveram comigo nessa aventura! Sublinho ainda que eu, Éricka Amorim e a Prof. Regina Schulter muito brevemente publicaremos um artigo com uma análise mais aprofundada da gastronomia promovida na feira por todos os países participantes.

 Uiara Martins

11. março 2012 by admin
Categories: Projeto Sapoti | Leave a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *

*